Seminário sobre autismo lota auditório da UEPG

Seminário Internacional de Autismo aconteceu no Grande Auditório do Campus Central da UEPG

Aproximadamente 500 pessoas compareceram na noite de terça-feira, 17, ao Seminário Internacional sobre Transtorno do Espectro Autista (TEA) realizado no Grande Auditório do Campus Central da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) para ouvir as palestrantes Kenya Diehl, Fátima de Kwant e Berenice Piana.

O público composto majoritariamente por docentes, estudantes, pesquisadores e ativistas da causa do autismo ouviu atentamente a princípio as considerações da jornalista, escritora e mãe de autista Fátima de Kwant, carioca radicada na Holanda há 30 anos, que trouxe a experiência deste país sobre políticas públicas destinadas à famílias e portadores de TEA.

“Se as políticas públicas na Holanda deram certo e ajudaram o meu filho, não posso deixar de acreditar que alguma coisa possa ser feita também aqui no Brasil. É uma questão que pode atingir todas as pessoas e elas merecem esse respeito”, disse Fátima.

Logo depois foi a vez da autora da Lei Federal 12.764, que instituiu no Brasil a Política Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Autismo, Berenice Piana. “Hoje, de cada 36 nascimentos, um é de autista. Há projeções de que em 2025, a síndrome pode atingir metade dos nascimentos, sendo que um dos principais motivos é um herbicida presente nos alimentos que ingerimos. Muitas pessoas autistas vivem esquecidas e isso atinge também a família e a sociedade. Os dados são alarmantes e precisamos mudar essa realidade”.

Encerrando o Seminário, a blogueira, ativista, autista e mãe de autista, Kenya Diehl, falou sobre sua experiência pessoal com a Síndrome e sobre os desafios da maternidade. “O autismo está em mim e em meu filho. Quero mostrar o quanto é importante falar sobre esse tema, pois muitas famílias estão sofrendo sem saber como lidar com a Síndrome. Há muito preconceito e julgamentos errados sobre autistas e mães de autistas, mas todos merecem respeito, consideração e atenção, tanto da sociedade como do poder público”, ressaltou Kenya.

Coordenando o Seminário, o deputado estadual Péricles de Holleben Mello, autor da Lei Estadual 17555, de abril de 2013, que trata do autismo no Paraná, comentou sobre a crescente conscientização em torno do tema. “Estamos avançando bastante. Conseguimos formar uma Frente Parlamentar na Assembleia Legislativa com a assinatura de 52 deputados. Nesta semana a Comissão de Constituição e Justiça aprovou por unanimidade a realização de um cadastro estadual da pessoa com TEA e a expedição de carteira de identificação para autistas”, comentou Péricles.

O vereador Pietro Arnaud, que juntamente com Péricles e com o deputado federal Aliel Machado, organizaram o Seminário, ressaltou que a Câmara Municipal possui lei a respeito dos direitos dos autistas e que apoia iniciativas de associações de amparo a esse público.

A mesa de trabalhos também foi composta pela diretora da Associação de Proteção dos Autistas de Ponta Grossa (Aproaut) Magda Tenório, do presidente da Aproaut, José Edilson e por Gabrielle Grube Pereira, do Canal Ninho Azul, que transmitiu ao vivo o Seminário pelo Facebook.

???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ???????????????????????????????????? ????????????????????????????????????

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *